Publicações especiais para pessoas especiais

“Somos surdos não somos mudos. Mudos são aqueles que não conseguem se expressar”. A frase​​ de Tatiana Martins, do Projeto FotoLibras, reflete a essência do que foi a primeira palestra do PUBLIQUE-SE!, nesta quarta (28). Falando sobre comunicação e expressividade, ela apresentou algumas publicações que ajudam a propagar o trabalho realizado pelo projeto. 
 
Criado em 2009, o Guia FotoLibras é uma ferramenta metodológica elaborada para difundir signos da língua brasileira de sinais criados para a fotografia. A linguagem, elaborada pelos alunos surdos junto aos educadores envolvidos no projeto, teve como proposta auxiliar na aprendizagem da técnica fotográfica.
 
O glossário, que compõe o Guia e está disponível para download, traz ilustrações ensinando a usar estes sinais. Desta forma, ouvintes e surdos podem repassar a outras pessoas os signos criados ao longo do projeto para designar termos como: diafragma, caixa mágica, enquadramento, filme.
 
A publicação e o próprio projeto ganharam tamanha proporção que o Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM) convidou o FotoLibras para um intercâmbio de experiências. Em busca da 2ª edição do Guia, Tatiana sonha com textos elaborados usando a Escrita de Língua de Sinais (ELS), ainda pouco difundida entre os falantes de LIBRAS.
 
Explicitando a relação entre fotografia e Libras, ela fez o público perceber ligações evidentes, porém essenciais, entre as linguagens. “Os surdos usam o olhar e as mãos para se expressar. Por isso, temos uma percepção visual muito aguçada”, ressalta Tatiana ao falar da fotografia como uma ferramenta de comunicação, integração social e de autoestima para as pessoas surdas.
Foto: Raphael Malta Clasen